Geoterapia

A Geoterapia é um tratamento holístico e natural com frutos da terra. Ela utiliza-se de argila, barro, pedras e cristais, como ferramentas reequilibrantes. Todos os antigos povos do oriente e do ocidente usavam a geoterapia para amenizar e cuidar de desequilíbrios físicos e emocionais. Atualmente os países como Alemanha, França, Suíça, Escandinávia, Austrália, usam e aplicam as técnicas geoterápicas na terapia holística. As propriedades terapêuticas da geoterapia fundamentam-se no poder regenerador que tem a Terra. Universalmente, a terra é a matriz que concebe as fontes, os minerais, os metais, além de ser fonte de água e alimento.

O poder curativo da terra ocorre devido à existência de uma determinada composição química e geológica que, logicamente, varia de um lugar para o outro. Mas para explicar as qualidades terapêuticas da argila, barro, pedras e cristais existe um motivo muito mais importante para que a Terra constitua um agente terapêutico: a energia que eles contêm.

Tipos
Há diferentes tipos de energia nesses elementos. A energia dos raios solares ativa os cristais e os elementos desencadeando um processo dinâmico e vitalizador capaz de beneficiar o corpo humano.

Outro tipo de energia é aquela determinada pelo campo magnético vibratório do planeta, que deixa a terra impregnada de uma força surpreendente – mesmo a argila seca ou o barro contém essa energia. E por fim, energia estrutural derivada da própria terra e de seus componentes – região, tipo de solo, formações geológicas, clima, etc.

Atualmente, nas clínicas naturalistas, a argila tem sido amplamente utilizada, sozinha ou associada a outros elementos. No caso da geoterapia estética, a máscara de argila é aplicada para promover a estimulação das células quando seca. O tratamento deve ser acompanhado do uso de hidratante neutro e é necessário usar filtro solar no corpo em qualquer época do ano.

A geoterapia também se utiliza de pedras e cristais como ferramentas reequilibrantes. Equilibra os centros energéticos e meridianos dos corpo, facilita o contato com o Eu Interior e trabalha terapeuticamente as zonas reflexológicas.

Há milênios a humanidade é atraída pelos cristais e pedras preciosas e semipreciosas. Isso porque elas já carregam seus símbolos, suas histórias e emanam características próprias.

A terapia holística utiliza um somatório de técnicas milenares e modernas, e a utilização das pedras e cristais como estímulos nessas técnicas busca torná-las, ainda mais eficientes, suaves e naturais, para a busca de autoconhecimento e equilíbrio, e no aumento da capacidade de superar obstáculos, alcançando a harmonia e realização interior.

Técnicas como: massagem com pedras e cristais, harmonização e equilíbrio dos chakras, cristalopuntura, auriculoterapia, reflexologia (podal, quiro e auricular) e visualizações criativas, em conjunto com a energia e capacidade de harmonização das pedras e cristais, procura uma forma eficiente e natural de busca do bem-estar e qualidade de vida.”

Noronha, S.K.; “pedras e cristais: Em busca do equilíbrio”; Ed.Sinte, 2003

Fonte: Wikipédia

Aranauam

Chi Kung

O Chi Kung (Qi Gong) é uma disciplina da Medicina Tradicional Chinesa, e tal como esta evoluiu através dos tempos. O Chi Kung (Qi Gong) é uma técnica milenar Chinesa de treino interior, objectivando o equilíbrio do indivíduo como um todo: físico, mental e espiritual. Ele resulta de milhares de anos de experiência dos chineses no uso da energia (Qi) para tratar doenças, promover a saúde e longevidade, expandir a mente, alcançar diferentes níveis de consciência e desenvolver a espiritualidade. No entanto, para se obter os benefícios que esta prática proporciona, é necessário vários treinos regulares, disciplina e aplicação prática da sua filosofia no dia-a-dia.

A maioria dos praticantes de Chi Kung, ao final de algum tempo de prática, começam a sentir os seus efeitos, é sem dúvida uma técnica destinada a todos que procuram a saúde e o equilíbrio segundo o Tao e pode ser praticado por pessoas de qualquer faixa etária. O Chi Kung beneficia o metabolismo e previne a maioria das chamadas doenças da meia-idade, tais como o endurecimento das artérias e articulações. Quando é praticado por um certo tempo e regularmente, beneficia especialmente o sistema nervoso central, o praticante ao aprender a controlar a mente, tem maior capacidade de projectar imagens positivas (concentração e contemplação) que trazem paz e tranquilidade a todo o ser, revigorando e estimulando o cérebro, desenvolvendo assim mais capacidade de concentração.

Derivado de técnicas milenares conhecidas como Dao (Tao) Yin, o Chi Kung, como é conhecido nos nossos dias, remonta á época da Dinastia Han (206-220 d.C.) altura em que começou a ser sistematizado. O termo Chi Kung, é um nome relativamente recente, data do início do século XX, sendo esse o nome utilizado actualmente para se referir a múltiplos exercícios destinados a desenvolver a força (física, energética, mental ou espiritual) ou para fins terapêuticos, mediante a utilização da Energia Vital – Chi ou Qi.

Apesar de ainda ser uma prática vista com cepticismo por muitos membros da comunidade médica no Ocidente, a Organização Mundial da Saúde (OMS), incluiu-a dentro da Medicina Tradicional Chinesa. Diversos estudos científicos sobre a eficiência das práticas de Chi Kung e os seus princípios estão a ser realizados actualmente um pouco por todo o mundo, especialmente na China, no hospital da Cruz Vermelha de Beijing e outros, estão a ser conduzidos experiências em áreas como o cancro e hipertensão, etc.

Algumas formas de Chi Kung são utilizadas não apenas como uma forma terapêutica de melhorar a saúde do praticante, mas também como um instrumento para tratar da saúde de outras pessoas. A forma mais comum utiliza a imposição das mãos e a intenção terapêutica de canalizar ou transmitir a energia (chi) ao paciente, estudos demonstram que o REIKI (terapia Japonesa de canalização ou transmissão de energia) tem como base o Chi Kung, pois o seu fundador, o Mestre Usui era praticante de Chi Kung.

Existem diferentes tipos de escolas de ensino do Chi Kung, mas todas as escolas existentes actualmente são derivadas das cinco principais escolas tendo cada uma delas, objectivos e propósitos concretos tais como:

– Escola Marcial (Wu Jia) objectiva o fortalecimento do corpo e da mente e o desenvolvimento de habilidades marciais;

– Escola Taoista (Tao Jia): tem como principal objectivo o desenvolvimento espiritual, através do controle da respiração e da visualização;

– Escola Budista (Fo Jia): objectiva principalmente o desenvolvimento espiritual através da meditação;

– Escola Confucionista (Ru Jia): o seu objectivo principal é o desenvolvimento mental / intelectual.

Entre os sistemas de Chi Kung mais conhecidos actualmente podem ser destacadas as seguintes práticas:
– As oito peças de brocado;
– A palma dos 5 elementos (ou movimentos)
– O jogo dos cinco animais;
– Permanecer quieto como uma árvore;
– Renovação dos músculos e tendões.

O Chi Kung também está associado a diversas artes marciais chinesas tais como: o Tai Chi Chuan. Neste contexto, além de ser uma forma de aprimorar a saúde do praticante, o Chi Kung também pode ser empregue como método de defesa ou de ataque.

Nos hospitais de Medicina Tradicional Chinesa, na China, o Chi Kung é uma prática terapêutica de rotina sendo utilizada complementarmente com outros especialidades de Medicina Chinesa ou Ocidental, também é disciplina obrigatória nos Cursos Universitários de MTC.

 

Fonte: http://www.medicinachinesapt.com/

 

Aranauam

O QUE É TERAPIA ESPIRITUAL

A terapia espiritual começa mostrando claramente a sua perfeição.
Sim, você pode melhorar o corpo e a mente enquanto isso.
É possível inúmeras formas alternativas de cura para suavizar o corpo e a mente.
Mas, definitivamente, a clareza de quem você é, da sua essência, tem que ser vista desde o princípio. Por que?

O fato é que quando você percebe quem você é AGORA, puro espírito consciente, consciência atenta e observadora, então, mesmo nos momentos negativos você encontrará a positividade natural da essência (que é sempre livre e amorosa). No meio de um desafio e de um sofrimento, será possível você relaxar em sua essência, de modo que tudo fica mais suave, mais tranquilo, mais pacífico – porque você já percebe que quem está sofrendo não é você em essência, e sim o seu corpo, a sua mente.

Este é um passo muito importante na cura. Pois a cura real é perceber-se cada vez mais como um ser divino. E este percebimento só não pode ainda ser visto e vivido porque estamos focando permanentemente algum outro lugar que não é o lugar onde mora o EU REAL, O ESPÍRITO, A CONSCIÊNCIA PURA.

A verdadeira terapia é Espiritual.
Terapia, na raíz da palavra, de origem grega, significa CURA. Nós sabemos que cura quer dizer “tornar-se inteiro, total, um todo orgânico”. Portanto, a verdadeira terapia é a cura que nos leva à nossa verdadeira natureza, pura, inteira, completa, permanente, pura, estável, divina. A terapia não-dual nos mostra desde o início que já somos completos. Nós não nos tornaremos completos! O que muda de uma terapia alternativa para a terapia nao-dual? O enfoque. A visão. A terapia alternativa e a tradicional parte do princípio que chegaremos a um estado de completude no futuro. A terapia ESPIRITUAL mostra claramente que não há futuro a não ser no pensamento e que o tempo é uma ilusão da mente. Logo, já somos sagrados exatamente agora. O grande instrumento para este salto chama-se meditação. E a purificação para a meditação pura é necessária. Esta purificação da mente pode ser feita de inúmeras formas. Há, hoje em dia, inúmeras terapias alternativas que ajudam a mente a se purificar do peso da ignorância. Mas não deve ser esquecido que a meditação e o ensinamento espiritual de que você já é luz em essência (apesar de não reconhecer ainda) deve andar junto, sempre no seu coração.

SAMBODH NASEEB

Fonte: http://naodual.blogspot.com.br/

Aranauam